Dicas de Quadrinhos para o Halloween

- ALIVE - 


Pouco antes de ser executado, o assassino Tenshu Yashiro consegue escapar da pena de morte graças a uma certa organização. 

Ao lado da sala isolada que ocupa com outro prisioneiro, está uma linda mulher que foi possuída por uma entidade! Em meio a tudo isso, Yashiro carrega a angústia e tem alucinações com a namorada Misako. O que a sobrevida lhe reserva?!


- A TUMBA DO DRÁCULA - 


Após uma longa caçada, inimigos jurados enfim se dão uma trégua! Mas isso não significa que Drácula, o Senhor das Trevas, e os Caçadores de Vampiros que há tanto tempo estão em seu encalço, ficarão esperando os próximos passos uns dos outros!

Neste volume da Coleção Marvel Terror: A Tumba do Drácula, os participantes desta eterna contenda se voltam para a resolução de assuntos mais pessoais: quem é o misterioso Hannibal King que se posta diante de Blade e qual sua ligação com o morto-vivo responsável pela morte de sua mãe? Ao tentar resolver este enigma, Blade terá uma surpresa ainda maior! O relacionamento de Frank Drake, o descendente de Drácula, e Rachel Van Helsing está mesmo fadado ao fracasso? E quanto ao próprio Senhor das Trevas? Vítima de uma armadilha do destino, ele é confundido com Satã em pessoa, mas opta por usar esse embuste a fim de recomeçar sua trajetória - inclusive se unindo em matrimônio profano para gerar um filho que governará toda a humanidade! 

E enquanto Drácula planeja cuidadosamente seu retorno em grande estilo à alta sociedade dos homens, ainda tem que enfrentar uma criatura abjeta e vingativa transformada pela ganância de seus pares e, também, D'Artagnan, Zorro, Tom Sawyer, Frankenstein e Robin Hood, além do majestoso poder cósmico do... Surfista Prateado! 

Este volume de 164 páginas reúne as edições 45 a 51 de Tomb of Dracula e histórias extraídas de Dracula Lives 2-3.


- BATMAN: O LONGO DIA DAS BRUXAS - 


Enquanto Batman, o capitão Jim Gordon e o promotor público Harvey Dent trabalham lado a lado para acabar com máfia e o crime organizado em Gotham City, uma série de assassinatos vinculados a grandes nomes da máfia, e em especifico á família de Falcone, começa a ser desencadeado. 

O misterioso vilão é chamado de “Holiday” e mata membros da família de Mafiosos em cada feriado ou dia comemorativo. 

Roteirizada por Jeph Loeb e com arte de Tim Sale, a HQ foi publicada originalmente pela DC Comics em 1996 e em 1997 chegou ao Brasil lançada pela Editora Abril, novamente em 2008 o quadrinho teve um lançamento pela Panini Comics. Foi vencedora do Eisner Awards em 1998 na categoria “melhor Minissérie”.


Drácula de Bram Stoker - 


Lançado pela editora Mythos durante a CCXP em dezembro de 2015, Drácula é a adaptação para os quadrinhos do clássico de Bram Stoker. 

Escrita por Leah Moore (Filha do mestre Alan Moore) e John Reppeion, repetindo a parceria de Alice no País das Maravilhas, o quadrinho tem ilustrações por conta de Colton Worley. 

A HQ ainda traz o conto “O hospede de Drácula” que só havia sido lançado em 1914. Drácula dispensa apresentações, o quadrinho é completamente fiel ao romance e resume bem o clássico de 1897 para aqueles que se cansaram de vampiros que brilham ao sol e procuram uma volta às raízes a HQ é recomendável.


- HELLBLAZER: RENASCIMENTO - 



É bom os ingleses se prepararem, pois John Constantine está voltando pra casa! Exilado nos Estados Unidos após um embate com um demônio, o mago trapaceiro já estava se acostumando com as particularidades de Nova York, mas, como diz o ditado: lar é onde o coração está. 

De volta a Londres, Constantine se reencontra a velhos amigos e inimigos jurados. Entre eles estão: Chas Chandler, seu inigualável e mais maltratado parceiro; Mercury, a jovem psíquica; o elemental chamado Monstro do Pântano; e, claro, dezenas de demônios, djinns e criaturas que assombram as noites do cidadão civilizado. 

Se sobreviver a esse retorno amaldiçoado, John terá que pensar rápido e burlar as regras e talvez apostar a vida de todos os moradores da cidade!


E porque não?

- PENADINHO: VIDA - 


A Alminha vai reencarnar. E Penadinho nunca teve coragem de dizer que ela é o amor da sua... morte! Pra piorar, a fantasminha sumiu e precisa ser encontrada até o amanhecer, quando a Dona Cegonha a levará. 

Em Vida, Paulo Crumbim e Cristina Eiko reinterpretam os personagens de Mauricio de Sousa de uma forma leve, apaixonante e divertida.



Na aba HQs Diversas do site você vai encontrar a minissérie "A Casa" contendo três volumes, contando uma história de traição e assassinatos, guardando para o final um grande mistério a ser desvendado. Não deixe de conferir! 

Gostou do post?
Deixe seu comentário!





Yu Yu Hakusho: Diferenças entre Mangá e Anime

O anime fez 25 anos em 10 de Outubro de 2017


O anime é incrível, mas e se você descobrisse que na verdade a história é bem maior? Capítulos inteiros do mangá foram ignorados no anime, coisa rara de se fazer numa série com tantos episódios.

- O início - 

Nos dois primeiros volumes das edições encadernadas só há aventuras com Yusuke como fantasma. Enquanto no anime ele volta à vida no quinto episódio, no mangá ele ressuscitou no capítulo 17! O problema é que nesta fase não havia pancadaria, era só um lance mais "espiritual".

Até o momento em que Yusuke possui o corpo de Kuwabara (2º episódio), a história bate direitinho mas a partir daí começam as aventuras além vida de Yusuke, onde ele ajuda várias pessoas com problemas e assusta outras, fazendo valer sua fama de bad boy. Afinal, Yuu-suke significa "ajuda confinada", sendo "confinada" vinda de "espírito confinado" (yuu-rei), a expressão japonesa que designa "fantasma". E Urameshi, por sua vez, são duas palavras, mas lendo-se de uma vez fica igual à palavra Urameshii (ressentimento) que os fantasmas, segundo os japoneses, costumam dizer para assustar os vivos.



- Capítulo 4 - 

O garotinho Shuuta não conseguia superar a morte do seu cão de estimação, Jiro. Jiro sempre o protegeu de grandalhões. Agora Shuuta está desesperado. Portanto, o espírito de Jiro não pode descansar em paz, preocupando-se com o dono. Em sonho, Yusuke faz papel de Diabo, dizendo que Jiro ficou preso à Terra por culpa de Shuuta e agora não poderá mais ir ao Paraíso. Yusuke maltrata Jiro para despertar em Shuuta coragem para ser forte. Yusuke finge sucumbir aos golpes de Shuta para manter o disfarce, tendo uma desculpa para "liberar" Jiro para o Paraíso. Assim, Botan leva Jiro e Shuuta adquire autoconfiança.


- Capítulo 5 - 

A alma de uma garota que morreu antes de sair com um namorado pela primeira vez fica lhe esperando no local de encontro. Yusuke sai com ela, realizando seu desejo. Assim, Botan pode levá-la para o além em paz.



- Capítulo 6 -


Yusuke ajuda um texugo (animal comum no Japão, sujeito de vários mitos, dentre os quais a transformação em qualquer coisa), retribuindo o favor a um velho que lhe salvou a vida quando bebê. O velho perdeu toda a família num acidente de trânsito, após o qual seus parentes distantes vieram pedir a herança. Vendo sua ganância, se fechou em casa, desacreditado com as pessoas e tornando-se totalmente amargo. O texugo toma a forma do amado neto do velho para lhe confortar nos seus últimos dias. Por ser inexperiente, não consegue desfazer a cauda, mas a oculta de pessoas normais com seu poder. Como o velho estava próximo à morte, não adiantou, mas ele fingiu acreditar ser realmente seu neto. No último dia, o velho pede que fique até depois do amanhecer, mas como o poder da lua se desfazia nessa hora, o disfarce foi por água abaixo. É então que o velho revela que sabia da verdade o tempo todo, e morre abraçado com o texugo.


- Capítulo 7 -


Aqui entra o capítulo em que Yusuke ajuda Kuwabara a tirar boa nota na prova para ajudar seu amigo (o 3º episódio do anime).



- Capítulos 8 e 9 - 

Yusuke ressuscita por um dia para salvar a pele de Keiko de uma gangue de arruaceiros.


- Capítulo 10 - 

Aqui aparece a primeira grande diferença do anime. Sayaka nunca foi no mangá uma investigadora mandada por Koenma. Na verdade ela era o fantasma de uma menina que morreu sem amigos. Durante a noite, visitava os sonhos de Shuuta e brincavam juntos. O trabalho de Yusuke aqui foi pesado, pois o espírito dela era muito forte e desejava levar o garotinho consigo para o além. Finalmente, Urameshi consegue fazer Sayaka deixar Shuuta em paz e daí para a frente ela o acompanha em suas aventuras.



- Capítulos 11 e 12 - 

Yusuke, Sayaka e Botan salvam a vida de uma garota que estava sendo perseguida por um demônio que fôra convocado acidentalmente pela sua melhor amiga num momento de inveja.


- Capítulos 13 e 14 - 

As coisas ocorrem mais ou menos como no capítulo 4 do anime, em que Yusuke quase tem o corpo carbonizado. A diferença principal é que Yusuke não quebrou o ovo para salvar Keiko. Quem abriu o caminho pelas chamas foi o próprio Koenma, usando seu poder divino.


- Capítulos 15 e 16 - 

Yusuke possui o corpo de Matsuo, um amigo que só se dá mal na vida, ajudando-o a treinar e ganhar autoconfiança até vencer sua primeira luta de boxe na escola. Com esta última boa ação, Urameshi é aprovado para a ressurreição.


- Capítulo 17 - 

É igual ao episódio 5 do anime.

Até chegar na pancadaria muita coisa foi cortada, e deu para perceber que havia uma busca por parte do roteirista em ir para o lado mais espiritual. Mas o interesse comercial das indústrias de brinquedos falou mais alto e o que começou como uma bela história espírita acabou se transformando em ação e lutas épicas! 




- Pequenos Contos - 

Durante o mangá também ocorreram umas pequenas histórias isoladas mostrando alguns eventos sem importância para o desenrolar da história mas que nos permitem conhecer melhor os personagens. Houve uma hilária história com Hiro e Kaito, uma com Koenma e seu pai Enma na qual fica claro o que Enma realmente planeja e até uma história com um romance entre Koenma e Ayame.

Two Shots - Uma história do volume 7 que conta quando Hiei e Kurama conheceram-se um ano antes de conhecerem Yusuke. Clique aqui para ler o resumo.


- Amenizações - 

Como sempre acontece quando um mangá se torna desenho animado (anime), em Yu Yu Hakusho as cenas mais sangrentas foram amenizadas para evitar quaisquer problemas. O mesmo aconteceu com certos hábitos e comportamentos dos personagens. 

Muitos espectros que Yusuke matou sangraram mais do que aparece no anime. Por exemplo Kyuukonki, que roubou a Gema do Demônio Faminto. O tiro da Bola Espiritual estourou o crânio do comedor de espíritos.

As vítimas do irmão mais novo de Toguro não tiveram mortes tranquilas, voando tripas para todo lado.

Praticamente todos os duelos do Torneio das Trevas tiveram mais sangue que no anime. Não dá nem para mencionar aqui, mas o que não faltou foi demônio estraçalhado com as tripas de fora.

Yusuke fuma no mangá, por isso que o professor Takenaka pegou tanto no pé dele no primeiro episódio, no mangá ele mal passou do portão do colégio para a calçada e já estava acendendo o cigarro! E é isso o que ele fica fazendo no teto do prédio do colégio, não fica apenas pensando na vida e relaxando (ou chupando balas).

Nenhuma luta foi cortada e os diálogos foram mantidos na íntegra o máximo possível. Quem conseguir comprar o mangá não vai precisar se preocupar muito em entender o que acontece, desde que tenha assistido o anime pela Manchete.



- Shizuru - 

Por alguma razão desconhecida, no anime a mãe de Yusuke não foi para a Ilha do Enforcamento assistir ao Torneio das Trevas com Keiko, Botan e Shizuru. Algumas cenas com ela acabaram sendo feitas pela irmã de Kuwabara. Além disso, no mangá Shizuru não tem nenhum romance com Sakyo, este que foi bem amenizado no anime. No mangá Sakyo não passava de um maníaco apostador que gostava de cortar animais.



- O Final -

No torneio final no inferno foram registradas as mesmas lutas tanto no mangá como no anime, mas o mangá não mostrou a maioria. Além disso, Yusuke não voltou ao Mundo dos Humanos após um ano e meio, mas após os 3 anos que prometeu, e o beijo enter Keiko e Yusuke que vimos no anime não aconteceu no mangá.


Eu estou satisfeito com o anime, e você?

Ainda não assistiu? O que está esperando?! Este é um dos melhores animes de todos os tempos!

Vale muito a pena assistir!


Gostou do post?
Deixe seu comentário!




Fanarts incríveis de Dragon Ball #1

Alguns artistas se superam ao retratar suas homenagens aos seus personagens favoritos! 

Aqui vamos mostrar algumas fanarts incríveis de Dragon Ball!



- Superman vs Goku - 







- Dragon Ball -








- O grande Sayaman -







- Batalha contra Cell - 







- Vegeta: O Príncipe dos Sayajins -







- Goku vs Frieza - 







- Trasnformação SSJ4 - 









- Goku e Shenlong - 




Em breve novas fanarts aqui em Tinicflix!
Não deixem de dar uma olhada nos meus quadrinhos!


Gostou do post?
Deixe seu comentário!






História da História em Quadrinhos


A História em Quadrinhos nasceu como gênero em 1895, com a publicação da primeira tirinha que convencionou a linguagem das HQs tal qual conhecemos hoje.

Publicado por: Luana Castro Alves Perez em A arte da palavra: a Literatura

A História em Quadrinhos não é considerada Literatura, mas constitui um gênero interessante ao aliar texto e imagem.


Você conhece a história das histórias em quadrinhos?


As Histórias em Quadrinhos, ou simplesmente HQs, normalmente estão associadas à narração, apresentando texto e imagem que estabelecem uma ideia de complementaridade. Gênero muito popular entre crianças e adolescentes, as Histórias em Quadrinhos infelizmente ficaram, por muito tempo, relegadas ao injusto rótulo de “subgênero”. Contudo, as HQs têm ganhado cada vez mais força, demonstrando que grandes histórias podem ser contadas sob o viés da Arte Sequencial.

A primeira história em quadrinhos de que se tem notícias no mundo foi criada pelo artista americano Richard Outcault, em 1895. A linguagem das HQs, tal qual conhecemos hoje, com personagens fixos, ações fragmentadas e diálogos dispostos em balõezinhos de texto, foi inaugurada nos jornais sensacionalistas de Nova York com uma tirinha de Outcault, chamada The Yellow Kid, e fez tanto sucesso que acabou sendo disputada por jornais de renome. Claro que esse modelo utilizado por Outcault não surgiu do acaso, pois as histórias em quadrinhos mais antigas surgiram nos primórdios, basta lembrar que os homens das cavernas comunicavam-se através das pinturas rupestres, contando através de desenhos a saga diária de nossos ancestrais na luta pela sobrevivência. Bom, voltemos aos tempos modernos.


The Yellow Kid, do artista americano Richard Outcault, inaugurou a publicação dos quadrinhos em jornais *1

As comics, como são conhecidas nos países de língua inglesa, surgiram na mesma época do cinematógrafo, mas diferente do que aconteceu com o cinema, que desde sua estreia foi considerado a sétima arte, os quadrinhos não receberam da crítica a devida importância, sendo até mesmo considerados como uma má influência para crianças e adolescentes. Isso aconteceu em virtude das temáticas abordadas, que fugiam às narrativas convencionais, pois se nem a disposição no papel era convencional, por que a linguagem o seria? Essa inovação provocou grande estranhamento e as impressões iniciais sobre as HQs transportaram a arte sequencial para o submundo das artes, onde permaneceu até a década de 60, quando invadiu o universo acadêmico e ganhou a simpatia de estudantes e professores.

As histórias em quadrinhos mais famosas são aquelas que retratam a vida de super-heróis, eternizados na arte sequencial e transportados para a linguagem cinematográfica, ganhando projeção internacional e povoando o imaginário de leitores do mundo inteiro. Mas nem toda HQ fica restrita a narrar as peripécias de personagens dotados de superpoderes: artistas como Marjane Satrapi e Art Spiegelman utilizaram as histórias em quadrinhos para narrar suas histórias de vida. Persépolis, livro de Marjane Satrapi publicado em quatro volumes, narra a infância da escritora iraniana durante a Revolução Islâmica. Já o livro Maus, do americano de origem judia Art Spiegelman, conta a história de seus pais, sobreviventes dos campos de concentração de Auschwitz, durante a Segunda Guerra Mundial. Maus recebeu, em 1992, o primeiro prêmio Pulitzer destinado a um livro de história em quadrinhos.


Maus, de Art Spiegelman, recebeu, em 1992, o prêmio Pulitzer. O livro narra a história de sobreviventes de Auschwitz. *2




*1 Imagem da capa de um dos quadrinhos The Yellow Kid, de Richard Outcault.

*2 Imagem do miolo do livro Maus, de Art Spiegelman.